Secagem e Armazenagem

Estamos realmente impressionados com a desinformação de produtores sobre o processo de secagem e armazenamento de grãos, o que evidencia a necessidade de conseguir levar essas informações ao campo. Para um Consultor o que interessa é a sua demanda como Técnico. E nesse aspecto temos sido bem procurados para corrigir algumas falhas nos processos de secagem de arroz.

Acreditamos que os produtores estão preocupados com o resultado do produto que processam, entendendo que uma farta colheita começa antes da recepção e secagem: passa por uma boa semente, fertilidade do solo, manejo da irrigação, controle de inços, monitoramento da sua lavoura, enfim, tudo aquilo que determina uma boa produtividade, passando por regulagens de maquinário e operação de colheita bem feita, com pessoal treinado. Mas na unidade de secagem não melhoramos o rendimento de engenho do arroz. Começa antes, na lavoura por tudo o que comentamos anteriormente.

Atualmente caminhamos no sentido de rastrear grãos. E no processo de secagem e armazenamento, anotar significa acompanhar, saber o que está ocorrendo com a massa dos grãos. Secar arroz “mordendo nos dentes” para saber que umidade está o arroz é passado – temos de ser mais profissionais.

Ficamos extremamente satisfeitos com os resultados alcançados em Bororé (São Borja), Plano Alto (Uruguaiana) e em Alegrete. Esperamos estar contribuindo com resultados positivos para esses produtores.